Cirurgia Geral

Glândula Supra-renal

Glândula Supra-renal


 

    Também chamadas de glândulas adrenais, são duas estruturas situadas acima dos rins e responsáveis pela produção de uma série de hormônios essenciais a vida.

 

    Frequentemente podem ocorrer tumores nestas glândulas. Estes tumores podem ser malignos (câncer) ou benignos. Os tumores malignos por sua vez podem ser primários da supra-renal (câncer da supra-renal) ou tumores que se disseminaram para estas glândula na forma de metástase à distância. As Glândulas adrenais são sítio frequente das metástases do câncer de pulmão.

 

     Outra questão importante a ser avaliada pelo cirurgião, é se o tumor em questão é funcionante (produz hormônios) ou se não é funcionante..

    

    Dentre os tumores funcionantes, atenção especial devemos dar ao feocromocitoma. Este é um tipo de tumor de produz uma substância chamada de adrenalina (ou catecolamina) que promove o aumento da pressão arterial, palpitações cardíacas, taquicardia, dor de cabeça, sudorese e emagrecimento. Pacientes jovens, com hipertensão arterial de difícil controle associado a estes sintomas devem sempre ser investigados quanto a presença deste tumor.

 

    Todas estas informações devem ser aferidas através de uma série de exames de sangue, urina e imagem, que irão direcionar o tratamento. Lesões maiores de 4 cm, virilizastes, de bordos irregulares, que captam contraste na tomografia computadorizada, funcionantes e/ou que aumentam de tamanho tem maior suspeição para malignidade e devem ser removidas.

 

    Atualmente a  cirurgia da adrenal tem sido realizada rotineiramente por videolaparoscopia o que reduz o tempo de internação hospitalar, dor pós operatória e está associada a melhores resultados estéticos. No entanto estas lesões são de abordagem complexa e devem ser minuciosamente estudadas, caso a caso, pelo médico assistente.

 

    Muitas vezes, após realizarmos uma tomografia computadorizada de abdome ou uma ressonância nuclear magnética de abdome, encontramos incidentalmente um nódulo na supra-renal, em pacientes assintomáticos e que fizeram o exame por outro motivo. Estes nódulos são atualmente denominados  de incidentalomas. Estes devem ser avaliados detalhadamente sobre o risco de malignidade respeitando os critérios citados acima.

 

    À disposição para esclarecimentos adicionais.