Câncer Gástrico em 10 ítens:

1. É o quarto câncer mais comum no Brasil e divide com o câncer de pulmão o status de câncer que mais mata no mundo. 2. O principal fator de risco é a infecção pelo Helicobacter pylori, uma bactéria capaz de gerar mutação nas células da mucosa gástrica. 3. Quanto aos sintomas. No inicio do quadro não existem sintomas específicos, isto faz com que esses tumores frequentemente sejam diagnosticados em fases avançadas. Com o tempo, a dor abdominal associada a vômitos (muitas vezes com sangue), dificuldade em se alimentar e o emagrecimento são queixas frequentes. 4. Investigação diagnostica. A endoscopia digestiva alta com biópsia é o método que dá o diagnóstico. Uma microcâmeras é introduzida pela boca até o estômago, onde é visualizado o tumor e um fragmento (biópsia) do tumor é retirado. 5. O tipo de câncer mais comum do estômago é o adenocarcinoma. Adeno dignifica glândula e carcinoma quer dizer câncer. Em quase todo trato gastrointestinal este é o tipo mais frequente, justamente pela presença de um epitélio de revestimento de origem glandular. 6. Estadiamento: uma vez diagnosticado o câncer é necessário verificar se ele ainda está localizado, ou seja restrito ao estômago, ou se ele já se espalhou para outros órgãos (metástase). Diversos exames podem ser necessários para isso, mas a tomografia é o principal deles. 7. Quimioterapia: dependendo do tipo, tamanho, agressividade, local da lesão e estadiamento, a quimioterapia pode ser realizada antes da cirurgia (neoadjuvância) ou depois da cirurgia (adjuvância). Em caso de diagnóstico precoce a quimioterapia não será necessária. 8. Falemos sobre a cirurgia: para tumores na parte de baixo do estômago a retirada de parte do estômago é suficiente. Para tumores na parte alta do estômago a retirada de todo o estômago se faz necessária. A cirurgia pode ser feita por videolaparoscopia ou por uma incisão maior no abdome. A decisão é feita caso a caso pelo cirurgião respeitando vários fatores. 9. O que é ljnfadenectomia? É a remoção dos gânglios linfáticos que fazem a drenagem da linfa que passa pelo estômago. Esta é parte fundamental da cirurgia e se não for bem realizada acarretará menor chance de cura! Por isso se afirma que o cirurgião interfere no prognóstico do câncer gástrico. Uma cirurgia mal feita tem impacto negativo na evolução do paciente. Escolha bem seu médico! 10. O paciente volta a comer pela boca depois de retirar o estômago? Com certeza. Seja na retirada de parte ou de todo o estômago realiza-se a reconstrução do trânsito permitindo o paciente se alimentar por via oral.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square